sexta-feira, 5 de julho de 2013

A esgrimista Leonor Margarido

Leonor Margarido (ao centro) fez parte do grupo de esgrimistas do Clube Português

            O Clube Português de São Paulo inaugurou sua sala de armas e as aulas de esgrima em agosto/1929. Dentre as alunas do curso, uma se destacou, Maria Leonor Margarido, que também cantava no Orfeão do Clube.
            Devido a sua dedicação e talento, em 1936, Leonor Margarido foi à primeira campeã brasileira de Florete quando teve início os Campeonatos Brasileiros de Esgrima para o sexo feminino.
            Nascida na capital paulista em 1914, Leonor foi estudante do Mackenzie College no Curso Comercial. Participou e venceu vários torneios de esgrima em São Paulo.
            Segundo nos informa o site www.ahistoria.com.br/esgrima/, este esporte é desenvolvido a partir dos duelos, dividido em três classes de acordo com as armas usadas: florete, espada e sabre. Os esgrimistas usam vestuário branco almofadado e uma máscara para proteger o rosto. O objetivo de um assalto – que dura um tempo determinado – é conseguir um “toque” com a arma numa área-alvo particular do corpo do adversário. Com a florete e a espada só pode ser usada a ponta da arma; com o sabre, o alvo são o tronco para a florete, todo o corpo para a espada, é o corpo, os braços e a cabeça para o sabre.
             A esgrima é um esporte olímpico e também a arte marcial mais antiga do Ocidente.
            O florete tem um peso máximo de 500 g e sua extensão não pode exceder 110 cm. A lâmina é de aço e pode chegar a 90 cm. O floretista deve tentar atingir, com a ponta da arma, o tronco do adversário. O atirador deve tentar atingir o corpo do adversário, da cintura para cima, com qualquer parte da lâmina. A principal condição para esgrimir corretamente é tocar o adversário sem ser tocado, através de movimentos ordenados.
            O interesse de Leonor pela esgrima surgiu através do incentivo de seus irmãos, como ela contou ao repórter do jornal Diário da Noite, em dezembro de 1932: 
Pratico esgrima desde que fui inscrita na Federação Paulista de Esgrima há quatro anos. O meu começo foi como todos os começos no gênero. A princípio todos os esgrimistas exercitam-se para passar o tempo e só começam a dominar a arma escolhida quando se apaixonam pela arte rara, conforme o que aconteceu comigo. E para mostrar minha predileção pela esgrima basta dize que, apesar de também praticar natação e correr, nunca me deixei influenciar por estes esportes a ponto de elegê-los como os do meu gosto principal. Meus três irmãos Ângelo, Antônio e Luiz são esportistas. Praticam a natação, o remo e outros esportes, tendo sido eles meus primeiros mestres. Esse fato e a falta de oposição dos meus pais, naturalmente, é o que me valeram para não ficar sujeita ao preconceito de que a mulher deve ser vedada a prática dos esportes por amor de sua feminilidade”.


Leonor Margarido ao centro da imagem
Fotos: Acervo Biblioteca Clube Português de São Paulo

Um comentário:

  1. Dalila Teles Veras5 de julho de 2013 12:11

    Também, na minha juventude, pratiquei esgrima, mas já não se usavam saias para a prática! Parabéns equipe da biblioteca do Clube Português por compartilhar com os leitores virtuais os tesouros aí contidos.

    ResponderExcluir